Voltar para postagens

Dezembro 12, 2020

Diferença entre veganismo e vegetarianismo

Diferença entre veganismo e vegetarianismo - Organi Chiado
Diferença entre veganismo e vegetarianismo Ser vegano e ser vegetariano são conceitos que muitas vezes se associam – e confundem - quando se fala em comida saudável ou em comer vegan. Sendo verdade que o ser vegetariano e o ser vegano partilham um chão comum, a verdade é que os dois encerram significados diferentes. E são opções de vida claramente diferentes.

Neste artigo, procuramos esclarecer as diferenças entre estes dois conceitos. Vamos por partes.

Vegan e vegetariano: duas abordagens diferentes

O vegan, ou vegano, representa uma opção que não é apenas do foro alimentar. O veganismo é, acima de tudo, um estilo de vida. Um vegano, ou vegan, não só não come alimentos ou produtos derivados de animais, como também não utiliza produtos com origem animal – por exemplo, roupa ou objetos.

Não se limita, assim, a comer vegan, mas também a pensar e viver vegan. Nada que gere sofrimento ou crueldade animal. Pelo contrário, exige uma postura ativista contrária, crítica e consciente face a esta questão.

Já o vegetariano, por seu turno, tem uma dieta alimentar que “apenas” excluí carne ou peixe. Contudo, quem é vegetariano pode comer outros produtos de origem animal, como ovos e lacticínios. Há vários tipos de dieta do tipo vegetariano: a dieta ovo-vegetariana e a dieta lacto-vegetariana – que inclui, respetivamente, ovos e lacticínios.

Vegetariano e vegan: as motivações

Várias pesquisas e estudos indicam que as dietas vegetarianas remontam ao tempo das Civilizações Antigas. A dieta do tipo vegetariano terá sido adotada no Egipto entre 3500 a.C. e 600 d.C. por determinados grupos que tinham a crença de que não comer carne criava um poder “kármico” que eventualmente facilitaria a sua “reencarnação”.

Os fundamentos do vegetarianismo podem ser mais do que religiosos - mas também de ordem ética, de saúde e ambientalista. No caso vegan, porém, a motivação é claramente ética antes de todas as outras. Porque num estilo de vida vegano não devem ser consumidos quaisquer produtos de origem animal.

No caso vegetariano, alguém que é vegetariano opõe-se a matar animais para alimentação, mas aceita o consumo de subprodutos de origem animal, tais como ovos ou leite.

Por norma, alguém que se identifica como sendo vegano evita atividades como touradas, circos e jardim zoológicos – e quaisquer atividades em que os animais sejam explorados.

Comer vegan: mitigar o sofrimento animal

Um dos pontos mais importantes e críticos relativos ao consumo de alimentos e produtos com origem animal está relacionada com as más condições e a crueldade infligida na manutenção e transporte dos animais. Este é, sem dúvida, um dos fundamentos mais importantes para se ser vegan ou vegano.

Benefícios para a saúde em ser vegetariano

Quem é vegano ou vegetariano colhe benefícios óbvios na sua saúde. Comer vegan reduz o risco de doenças cardiovasculares, entre outras – como a diabetes e o cancro. Para além disso, é possível reduzir o peso e controlar o colesterol de melhor forma. Ao mesmo tempo, permite ter uma melhor consciência sobre alimentos e produtos – controlando o que se come, de forma mais pensada.

O vegano e os benefícios para o ambiente

Sabemos que o planeta vive uma crise de emergência climática sem precedentes. E muito se tem discutido sobre o impacto do consumo de alimentos nessa crise. A indústria da produção de alimentos tem impactos significativos no meio ambiente devido às emissões de gases com efeito estufa da indústria agropecuária, ao desmatamento e ainda à poluição da água que origina.

A maioria das emissões do setor da produção agropecuária vem da criação de gado. Mais de 70 biliões de animais são criados anualmente para consumo humano. O sistema de produção de alimentos no mundo abrange a produção agropecuária, o processamento e distribuição, representando cerca de 26% das emissões de gases com efeito estufa. Repensar este sistema, de forma crítica, é sinónimo de ajudar o planeta e reduzir a nossa pegada ecológica.

Vegano, uma opção de vida

Ser vegan é assumir uma opção de vida clara. É assumir a recusa de comer alimentos que não tenham origem vegetal, mas estender essa postura ativista a outras áreas de consumo – no vestuário, na cosmética, nos produtos domésticos e no calçado. Há cada vez mais marcas que se especializam em produção de bens de consumo sem origem animal ou recursos a testes em animais.

A opção de viver e comer vegan deve ser cuidadosamente ponderada. Por exemplo, no que à dieta diz respeito, devem-se tomar alguns suplementos vitamínicos – como a vitamina B12 – e ferro. Ao mesmo tempo, devem-se encontrar boas fontes de proteína, sendo que alimentos processados não devem ser solução para substituir a carne e o peixe.

Ser Vegano

Alimentação: não come nenhum alimento com origem animal. Incluem-se carne, leite, mel e ovos.

Produtos lácteos e derivados: não consome quaisquer produtos lácteos ou derivados.

Produtos: não usa produtos com origem ou testados em animais, incluindo produtos de higiene, cosméticos, vestuário, calçado, medicamentos, entre outros.

Definição: pode ser definido como um estilo de vida, uma forma de ativismo ou filosofia.

Racional: o que fundamenta ser vegan é a questão ética. Pelos animais, contra a exploração e a crueldade animal.

Ser Vegetariano

Alimentação: não consome peixe, carne e aves.

Produtos lácteos e derivados: pode consumir produtos lácteos e derivados.

Produtos: pode (ou não) usar produtos com origem animal.

Definição: pode ser definido como um tipo de dieta baseada em várias preocupações.

Racional: ser vegetariano pode ser um princípio adotado por questões de dieta, éticas, religião ou saúde.